Conheça Bogotá em 8 horas

10/04/2015
monte serrat em Bogotá
Vista de cima do Monte Serrat, em Bogotá

Bogotá é uma cidade muito diferente do que as pessoas imaginam. Eu, pelo menos, achava que ia encontrar uma cidade semi-pobre, meio perigosa e sem muitos atrativos. Mas não é nada assim. Bogotá tem seu charme e bons lugares para ir, mesmo sendo só em 8 horas.

Chegamos lá num domingo, vindo de Cartagena. Como esse trecho está em todos os voos São Paulo-Cartagena, decidimos embarcar cedo e aproveitar o dia na capital. Tem pontos turísticos, bons restaurantes, shoppings, bares e cassinos.

Ao chegar, pegamos um táxi direto pro Monte Serrat. É o ponto mais alto de Bogotá. Juntos, pagamos 18.800 pesos (R$ 24) pelo passeio, que inclui a passagem de ida e volta do bondinho. Vale a pena conhecer, apreciar a vista da cidade inteira e também para tomar um chazinho de coca para aliviar os possíveis enjoos na altitude de 3.100 metros. De lá, dá para chegar ao centro de Bogotá a pé mesmo. Aos domingos o centro fica cheio de ambulantes, com feirinha de pulgas espalhadas por ruas que ficam fechadas para a entrada de carros.

chá de coca em Bogotá
Chazinho de coca pra aliviar o enjoo na altitude

Transporte

Para se locomover você pode utilizar o táxi, ou então o sistema Transmilenio, que é uma boa opção, mas um pouco confuso de entender suas linhas e baldeações. São ônibus com paradas fixas, que passam pelas principais ruas da cidade e, em sua maioria, em faixas exclusivas.

avenida de Bogotá
Aos domingos, Bogotá é uma tranquilidade

Comer em Bogotá

A variedade de comidas é grande na capital. Logo na saída do bondinho, mandamos um milho assado. É, assado. Diferente de como é feito aqui no Brasil, lá eles fazem na brasa e o milho fica até crocante. Prefiro o nosso, cozido com manteiga e sal. Pela curiosidade, deu uma enganada na fome.

Lá no centro, entramos numa lanchonete pra experimentar o suco de lulo. Foi difícil achar a tal Lulada, mas vale experimentar! É quase um maracujá. Só que é diferente. Só experimentando…

Como já estávamos no meio da tarde, precisávamos comer alguma coisa com sustância. Fomos para a Zona Rosa, um bairro que concentra restaurantes, bares e lojas em um quadrilátero que só entra pedestre. É quase a Oscar Freire deles.

Andrés DC
Restaurante Andrés DC é um lugar que você deve conhecer em Bogotá

Escolhemos ir no Andrés DC, um restaurante completamente diferente de tudo que já vi. O mais parecido, e ainda muito longe, é o Fridays. São 5 ou 6 andares de restaurante, com a temática “do céu ao inferno”, com um cardápio interativo e cheio de variedade e entretenimento a todo momento. Um lugar muito legal e que aconselho muito, apesar do preço salgado de 140 mil pesos (mais ou menos R$ 175). Preferimos ficar numa mesa no intermediário, o purgatório!

Cardápio Andrés DC
O cardápio parece mais uma revista. Você pode até levar pra casa

Alimentados, fomos dar uma passeada pelas ruazinhas próximas e aproveitamos um pouco do tempo pra jogar um cassino. Sim, na Colômbia existem cassinos. Em Bogotá são vários!

Da Zona Rosa, partimos de táxi para o aeroporto e pagamos 32.000 (R$ 40). Inclusive, pegamos um taxista muito gente boa que nos explicou muita coisa do país. Pena não ter conhecido antes porque naquele momento ele ainda nos serviu como guia. Estava chegando a hora de ir embora, pegar um voo e ir direto para o trabalho. Um pouco corrido o negócio, mas valeu muito a pena passar por esse cansaço.

Mateus Carvalho²

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *