Chipre, a ilha do amor

20/07/2015
Por Na Brancato

Só não sei se por ser berço da Aphrodite ou pelo o que acontece aqui, na ilha do amor. É festa pra todo lado, é Porto Seguro da Europa. Mulecada com seus 18 anos bebendo loucamente, para não dizer 15 ou 16 anos. Aya Napa é o ponto principal. Mas não se preocupe, fora desta praia o ambiente é mais familiar e tranquilo.

O país-ilha faz parte da união europeia, logo a moeda é o euro. Mas os preços são mais baratos que no continente. Com menos de 10 mil km², o melhor jeito é alugar um carro. Alugamos um por 6 dias. Gastamos 190 euros no total, com gasolina. Não só vale a pena como é imprescindível. Não vimos muitos ônibus e você consegue conhecer o país todo assim. Por exemplo, de Larnaca (cidade onde fica o aeroporto) para Aya Napa são 40 km. Dessa mesma cidade para Pafos são 140 km, e para a capital Nicosia são 50 km. As estradas são ótimas e muito bem sinalizadas.

ilha do amor
Pelas estradas do Chipre

Larnaca, Limassol e Pafos são as principais cidades praianas. A partir delas dá para explorar o litoral. A noite mais legal fica mesmo em Pafos. Não conhecemos a de Limassol e Aya Napa chega a assustar com gente bêbada vomitando na rua.

ilha do amor
Festinha em Nissi Beach, Aya Napa

Nicosia é uma história a parte. Lá não tem praia, mas o que chama a atenção é poder ver a parte invadida pelos turcos. Desde 1974 a Turquia invadiu parte de Chipre e mantém a ocupação até hoje, ao norte. A capital acabou ficando dividida, e Chipre não reconhece esta parte. Portanto, para entrar na parte turca, que é só andar uns metros na rua principal de comércio, é preciso mostrar passaporte. Há um aeroporto de onde chegam voos da Turquia, mas o governo também não permite a entrada por este lado. Há inclusive missão de paz da ONU lá para tentar amenizar as diferenças. Ao cruzar para o lado turco os preços são em liras turcas e há inclusive mesquita, o que não acontece na República cipriota, de maioria ortodoxa.

Rua principal de Nicosia
Rua principal de Nicosia

Larnaca serve apenas para entrar e sair do país, ou então para ficar hospedado com preço mais baixos. Até tem uma praia, mas não é das mais bonitas. O centrinho é charmosinho.

Mas sentimos que Chipre não tem sua própria personalidade. Com a guerra entre Grécia e Turquia para conquistar a ilha, há muita influência por todo lado, principalmente na culinária. São saladas gregas ou mousakas (lasanha de berinjela), ou os doces típicos da Turquia, as baklavas.

Se vê mais bandeiras da Grécia do que do Chipre
Se vê mais bandeiras da Grécia do que do Chipre

Mala ou mochila? Se estiver fazendo um mochilão pela Europa, vale a pena pegar uma mochila e descer para Chipre por alguns dias.

Pesa no bolso? O que mais pesa é o aluguel do carro. Como não há muitos passeios, dá para e economizar só curtindo as praias. Como é muito quente, comíamos sempre saladas por 5 euros

Onde ficamos? Fizemos 3 cidades de base. Em Larnaca fizemos couchsurfing; em Pafos ficamos no Panklitos, um apartamento por 30 euros a diária. Tem uma mini cozinha no e até piscina. Em Nicosia ficamos em no Youth Hostel por 10 euros cada um a diária, em quarto quádruplo (que tivemos a sorte de não dividir com ninguém).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *