Pokhara – A cidade base para o trekking no Nepal

13/11/2015

Pokhara é a cidade base para fazer trekking, escalada e paraglider no Nepal. Fora isso, tem uns restaurantes e bares legais, um grande lago e nada mais.

Não temos muito o que dizer sobre a cidade. Dormimos por lá só uma noite antes do trekking pra descansar bem e depois da caminhada mais uma noite. Nesse dia já não aguentava nem andar mais. Mas é legal saber algumas informações que serão úteis para quem pensa em fazer um trekking no Nepal.

pokhara-lago
Quem tiver pernas, pode pedalar ao redor do lago de Pokhara

Como chegar? Tem duas formas de chegar em Pokhara, de ônibus ou avião. As companhias aéreas do Nepal não são das mais confiáveis, então utilizamos o ônibus, que também obviamente é mais barato. As estradas são ruins e o trecho de 142 km demora 7 horas.

Nós partimos de Katmandu para Pokhara e utilizamos duas opções de transporte. Na ida fomos de ônibus com a empresa Green Line que, segundo os nepaleses, é a melhor e mais organizada. A mais cara, também. Pagamos U$ 21 por cabeça, com almoço incluído. Essa Green Line é disputada, é bom comprar com antecedência.

Na volta pegamos um busão de turista que, pasmem, custa U$ 8 por pessoa sem almoço e o busão é idêntico da Green Line. Vale muito mais a pena, preço de ida e volta não chegaria no preço só da ida da outra empresa. A dica é chegar na rodoviária cedinho e comprar o busão que preferir. Não tem erro.

Essa é a rodoviária de Pokhara. É só chegar e comprar a passagem
Essa é a rodoviária de Pokhara. É só chegar e comprar a passagem

De Pokhara até Nayapul – Nayapul foi nosso ponto de partida para o trekking. De Pokhara até lá demora 1h30 mais ou menos. Ai você pode escolher três opções: ônibus municipal (baratinho), transfer com van (médio) ou táxi (caro).

De novo utilizamos duas opções. Na ida, não sabíamos muito bem como fazer, optamos pelo transfer. Com o problema de gasolina que o Nepal estava passando quando estivemos lá, tava tudo bem caro. Mas, enfim, pagamos U$ 8 por cabeça.

Na volta descobrimos que podíamos usar o busão municipal de boa e que leva o mesmo tempo de viagem. No fim do trekking já vimos o busão que ia pra Pokhara e subimos nele. Pagamos só U$ 3 cada um e descemos numa estação rodoviária um pouco longe do nosso hotel. Dividimos um táxi com um cara e pagamos U$ 3,50.

E as malas? Para um trekking de 4 dias você não precisa levar a sua mala inteira. Alguns hotéis permitem que você deixe sua mala por lá e sem custo. Não faça que nem uma pessoas que vão para uma caminhada curta e contratam um carregador pra levar a mala. A não ser que você queira ficar 7, 10, 15 dias. Ai precisa levar mais roupa e o carregador é uma boa opção.

Também em Pokhara você pode comprar equipamentos para o trekking, como sticks, tênis, casaco, sacos de dormir, etc. Só não garanto a qualidade das coisas, eu comprei um casaco vagabundo lá por U$ 11 porque não tinha nenhum para a trilha. E olha que ele tá durando, hein?

Loja de tudo quanto é coisa é o que não falta em Pokhara
Loja de tudo quanto é coisa é o que não falta em Pokhara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *